quarta-feira, janeiro 02, 2008

Tenho uma amiga que não tem resoluções para 2008. Até podia prometer fazer mundos mas sabe que pode muito bem não cumprir. Tem a ligeira sensação de que algo vai mudar radicalmente este ano. Só não sabe se vai ser com ela ou com alguém à volta. É deixar vir se vier por bem. E tudo pode não passar de uma sensação, de uma intituição errada. Gostaria de dizer que vou fumar em todos os restaurantes, em todos os bares, em todos os sítios públicos. Em 2008 vou poupar... não em cigarros mas em contas de jantares e almoços. É agora que trago a marmita. E almoço na soleira da porta a apanhar solinho e a falar com as vizinhas da rádio.
Já agora de passagem pelo blog da rititi fiquei-me neste parágrafo. Rititi sabe e tem a sorte de ter estado de passagem...
"Sim, voltei a Madrid, fugida de uma Lisboa que sempre amei e que agora me dá urticárias. Não posso com tanta queixa feita cancro de nós, não posso com este rame-rame obrigatório, com este modo de viver que recompensa a lamúria. Tenho pena e queria desejar-vos Bom Ano, que sejais felizes, mas só se me ocorre pedir-vos para desligar a televisão. Saiam à rua, encham os bares, obriguem os donos dos restaurantes a ligarem o aquecimento, iluminem as ruas de Lisboa com as luzes das vossas árvores de Natal, fujam dos centros comerciais e levem os vossos filhos aos jardins, namorem nos bancos dos parques e esqueçam que somos uma campanha publicitária chamada a Costa Oeste de Europa. Somos um país de gente pouco alegre, bem sei, mas também não merecemos estar sempre a levar nos cornos, caralho."

3 comentários:

Baidauei disse...

Sublinho especialmente o "deixar vir se vier por bem"..

RedLightSpecial disse...

Ok. Eu levo a marmita e vou almoçar contigo!
:)
beijos para ti linda!

Magnolia disse...

Prosseguindo....Fantastico....Vai descendo... :)